Carregando, por favor aguarde
Cadastre-se e receba novidades
Assunto

Peixes

Ração para peixe: como escolher a melhor na aquicultura?

Ração para peixe

A qualidade e a produtividade da sua criação de peixes depende, principalmente, da alimentação. Saber escolher a melhor ração para peixe, ideal para cada espécie e o manejo alimentar adotado em sua piscicultura é fundamental para o desenvolvimento da sua produção.

Algumas características da criação devem ser consideradas antes de escolher qual ração será utilizada. Neste post, vamos mostrar quais são esses aspectos e, em seguida, daremos dicas de como decidir qual a melhor ração de peixes e qual a quantidade de ração correta e, assim,  ter qualidade na sua produção. Confira!

O que é preciso saber antes de escolher a ração?

Para fazer essa escolha, é importante conhecer cada espécie que você tem no seu criadouro, pois cada peixe apresenta necessidades nutricionais e um comportamento durante a alimentação.

É preciso ter em mãos informações como: espécies de peixes alojados, comportamento alimentar, hábito alimentar, dimensão dos tanques ou viveiros, densidade de estocagem, temperatura e qualidade da água — além de observar se peixes dominantes não estão impedindo a alimentação de outros.

Quais tipos de ração para peixes existem?

Existem várias rações utilizadas para alimentação de peixes. Além disso, são muitas as formas de categorizar rações, mas, aqui, vamos usar a classificação relacionada a sua composição nutricional. Também é possível classificar quanto ao hábito alimentar e à exigência nutricional dos animais — assim, há alimentos desenvolvidos para espécies carnívoras e omnívoras

Dessa forma, temos dois tipos de ração para peixes: dietas suplementares e dietas completas. Abaixo, vamos explicar as características e os benefícios de cada uma delas para que você decida qual tipo de ração é ideal para sua produção.

Rações ou dietas suplementares

As rações suplementares têm a função de complementar o alimento natural. Essa opção de ração tem uma menor concentração de proteínas e um desequilíbrio em aminoácidos essenciais. No entanto, ela apresenta maior relação entre energia e proteína e pode conter (ou não) mistura vitamínica e mineral.

Esse alimento só deve ser utilizado quando o peixe for capaz de encontrar comida natural no seu ambiente de criação. O tipo de tanque utilizado e a quantidade de água trocada permitem a formação do alimento natural. Neste caso, a quantidade de peixes por tanque deve ser baixa.

Rações ou dietas completas

As rações completas têm todos os nutrientes que o peixe precisa para o seu desenvolvimento. Essa ração tem apresentado bons resultados na produção de peixes, uma vez que rações completas, — ou dietas completas — atendem todas as necessidades, do ponto de vista proteico, energético, vitamínico e mineral do animal.

Esse tipo de alimento é muito utilizado na aquicultura pelo balanceamento nutricional completo, funcionando como alimento exclusivo para os peixes. No entanto, é importante observar se todos os peixes alojados em um tanque ou viveiro de produção estão tendo acesso ao alimento.

Conhecer os hábitos de cada espécie de peixe alojada em sua piscicultura é fundamental para a adequação da ração a ser fornecida e, também, para implementação de um manejo nutricional e alimentar economicamente rentável.

Qual deve ser a composição nutricional?

O bom desenvolvimento da sua criação depende da segurança dos peixes estarem recebendo as frações adequadas de nutrientes proporcionais às suas exigências alimentares. Por esse motivo, a ração para peixe utilizada na sua unidade de produção deve conter, obrigatoriamente, doses de proteína e aminoácidos, entre outros nutrientes importantes.

A proteína corresponde ao nutriente mais importante na alimentação dos peixes. Isso porque são um dos principais constituintes orgânicos dos tecidos dos peixes, compondo de 65 a 75% da matéria seca corporal. Além disso, as proteínas têm funções características, como absorção de água, elasticidade e aglutinação.

Qual o investimento necessário?

Uma dúvida de muitos produtores é referente ao custo da ração. Afinal, existe uma infinidade de tipos e fabricantes de ração para peixe no mercado. Por isso, o principal fator a ser pensando na hora de investir nesse alimento deve ser a sua qualidade.

Desde que a ração ofereça os nutrientes necessários para o desenvolvimento e crescimento do animal e que estes estejam biodisponíveis, pode ser a mais barata possível. Por outro lado, produtores que investem mais na alimentação da sua criação conquistam melhor crescimento dos peixes em um menor espaço de tempo. O que, em alguns casos, significa maior economia a longo prazo.

Quais as formas de distribuição?

O modo como você distribui a ração para os peixes também influencia na alimentação desses animais. Existem três maneiras de fornecer comida para os peixes: manualmente, a lanço ou em comedouros ou por alimentadores automáticos.

A forma manual é interessante, porque permite ao produtor ter um contato visual com os peixes durante a alimentação. Assim, é possível analisar e identificar possíveis problemas de saúde, observar se algum animal está impedindo o outro de se alimentar e, também, verificar a saciedade dos peixes.

A distribuição por comedouro pode ser feita diretamente em cochos. O uso de alimentadores automáticos pode ser considerado o método ideal para promover uma alimentação rápida de grandes áreas. Um dos modelos permite a distribuição do alimento a lanço, por um implemento acoplado diretamente no trator.

Os comedouros automáticos podem ser programados para disponibilizar porções de ração para os peixes de tempo em tempo. No entanto, existem algumas ressalvas quanto ao seu benefício / custo. Por isso, uma nova alternativa tem ganhado destaque no mercado: o sistema de alimentação inteligente.

Esse método permite monitorar o processo de alimentação dos peixes em tempo real, além de determinar, automaticamente, as demandas de comida dos animais.

É necessário, ainda, ter alguns cuidados na distribuição de ração para peixe, de acordo com o seu crescimento. À medida que os animais crescem, a quantidade de ração e os seus teores de proteína devem ser reduzidas, já que a taxa de arraçoamento varia de acordo com a fase dos peixes.

Neste post, mostramos tudo o que você precisa saber para escolher a ração para peixe ideal para sua criação. Também falamos de como é importante conhecer cada espécie da sua produção, pois cada peixe tem um hábito alimentar diferente, influenciando em seu desenvolvimento.

Para saber mais curiosidades sobre aquicultura, continue a visita ao nosso blog e saiba o tempo de produção de algumas espécies. Com todo este conteúdo, você se tornará um especialista no assunto!

 

Powered by Rock Convert