Carregando, por favor aguarde
Cadastre-se e receba novidades
Assunto

Mercado

Como comprar aerador para tanque de peixe da melhor maneira?

A piscicultura cresce no Brasil. O país é, atualmente, o quarto maior produtor de tilápia do planeta. Com esse avanço, a adoção de novas tecnologias que propiciem o aumento da produtividade passa a ser vital para o desenvolvimento desta atividade. Neste sentido, a seleção e a aquisição de equipamentos merece especial atenção, dentre eles vamos conhecer o aerador.

Preparamos este post sobre o tema para você entender melhor os diferentes tipos de aeradores, as suas funções e os seus benefícios. Assim, você conseguirá tomar uma decisão mais acertada na hora de comprar o seu equipamento.

Siga em frente para aprender mais!

Qual é a função do aerador para viveiros de produção de organismos aquáticos ?

A função dos aeradores é incorporar oxigênio do ar na água e distribuí-lo rápida e uniformemente por todo o viveiro de produção de organismos aquáticos, evitando o comprometimento da qualidade da água e a geração de gases tóxicos que podem colocar em risco a vida dos animais do seu viveiro.

Com o crescimento da piscicultura no Brasil, a compra de aeradores é uma das prioridades dos aquicultores.

Entre as vantagens da utilização de aeradores, destacam-se:

  • oxigenação rápida dos tanques;
  • são equipamentos silenciosos;
  • potencializam a produção de organismos aguáticos;
  • preservam a qualidade da água e impedem a formação de compostos e substâncias tóxicas responsáveis pelo surgimento de odores mal cheirosos e evitam o acúmulo de lodo no fundo do tanque;previnem e controlam indiretamente o surgimento de bactérias e algas indesejadas;
  • previnem e controlam indiretamente o surgimento de bactérias e algas indesejadas;
  • e o principal, trazem todos esses benefícios sem causar danos aos organismos aquáticos alojados no viveiro.

Antes de tomar uma decisão, no entanto, é preciso pesquisar bastante a respeito. Existem diversos tipos de aeradores, com diferentes níveis de consumo de energia e algumas particularidades às quais os profissionais dessa área precisam se atentar para definir a melhor opção.

Como escolher o ideal

Antes de escolher o aerador ideal, é preciso conhecer os diversos modelos disponíveis atualmente no mercado. Acompanhe.

Aerador chafariz

Como vimos até aqui, a função principal de um aerador é incorporar o oxigênio do ar na água dos tanques e viveiros de produção, mas ele pode fazer mais do que isso.

O aerador chafariz é um equipamento que dá suporte à criação de peixes, camarões e demais organismos aquáticos hoje produzidos no Brasil, ajudando a desestratificar o gradiente de temperatura observado entre o fundo do tanque ou viveiro, interface solo / água, e a superfície da água, interface água / ar.

Esse procedimento deixa a lâmina d’água com qualidade mais homogênea, o que favorece o processo de desenvolvimento e crescimento dos peixes. Assim, o produtor obtém animais de tamanhos padronizados para futura comercialização.

O aerador chafariz é recomendado para a criação de uma variedade de peixes, incluindo a tilápia, o tambaqui, o pacu e a carpa, entre outros, além do camarão. É um equipamento com consumo de energia moderado.

Aerador de pá

O aerador de pá atua na movimentação das camadas superiores de água.

Ao fazer a rotação das pás, é criada uma leve correnteza artificial, que permite à água ser oxigenada de forma mais homogênea.

O impacto do equipamento é visto justamente na uniformidade do desenvolvimento de peixes ou camarões. Seu consumo de energia também é considerado moderado.

Aeradores com injetores

A aeração por injetores é uma técnica que usa uma bomba de água conectada a um bico injetor de ar.

Além de oxigenar a água, com foco no melhor desenvolvimento dos peixes, esse tipo de aerador soluciona um problema que costuma ocorrer com frequência: a decomposição de matéria orgânica no fundo do tanque.

Antes de se decomporem, materiais como fezes, restos de ração e folhas, entre outros, acumulam-se. Quando a decomposição finalmente ocorre, as condições são geralmente ácidas e, junto a outros gases tóxicos presentes na água, pode haver a produção de amônia, substância fatal para peixes e camarões.

Aerador por ar difuso

Para tanques ou lagoas de grandes profundidades (10 a 30 metros), os aeradores por ar difuso são os mais recomendados por fazerem a desestratificação de níveis de profundidade com lodo no fundo.

Ou seja, por terem a capacidade de mover grandes quantidades de água em pouco tempo, esses aeradores evitam a mortandade de peixes criados em ambientes mais profundos.

Diferentemente dos demais — que atuam na superfície —, o aerador por ar difuso é submerso. Seu consumo de energia é 50% menor do que o do modelo com pás.

Particularidades da criação de peixes

Assim como quase tudo na vida, na piscicultura também pode-se dizer que “cada caso é um caso”. Dependendo do tipo de peixe criado, existem particularidades que devem ser levadas em conta para que o trabalho seja realizado de forma correta. Confira algumas delas.

Oxigenação à noite

No período noturno, a fotossíntese deixa de ser feita devido à ausência de luz solar. Ainda assim, os peixes continuam respirando. Por isso, ter um aerador capaz de agir durante a noite  especialmente no período considerado crítico, entre 4h e 6h  ajuda a manter a água em níveis de oxigenação adequados, sem prejuízos ao desenvolvimento e à sanidade dos animais.

Criação de peixes de baixa renovação

Quando o aquicultor trabalha com peixes de baixa renovação, utilizar um aerador é ainda mais importante, especialmente levando em conta que a meta costuma ser a de alcançar biomassas acima de 400g de animal por m².

Já quando se atinge uma biomassa acima de 600g de peixe por m², muitas vezes é preciso realizar uma aeração de emergência à noite.

E quando a biomassa ultrapassa os 800g de peixe por m², a aeração emergencial não basta; também é preciso renovar a água do tanque com mais frequência.

Cuidados com a piscicultura antes do inverno

Ao contrário dos mamíferos, que regulam sua temperatura corporal a cada época do ano, os peixes são diretamente afetados pelo clima.

Antes da chegada do inverno, alguns cuidados precisam ser tomados para garantir a sanidade animal na estação mais fria do ano.

Entre eles, estão a suplementação de alimentos, com vitaminas que ajudem os peixes a aumentarem sua imunidade, e uma troca da água do tanque mais frequente. Neste caso, o uso de aeradores é essencial para manter a temperatura próxima ao ideal.

Confira alguns tipos de peixes e quais são as temperaturas recomendadas para a criação de cada um deles:

  • salmão e truta: originários de países de clima temperado, vivem bem em águas de até 10°C;
  • pacu: peixe que se origina no centro e no sul do Brasil, é criado com conforto em temperaturas de 24°C a 30°C;
  • tambaqui: peixe da região Norte do Brasil, vive em temperaturas mais altas, entre 25°C e 34°C.

Se você gostou desse post sobre aerador para tanque de peixe, acompanhe as novidades sobre esses e outros assuntos nas nossas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Powered by Rock Convert
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *